Saga Rodrigo Lima CD Fotos Créditos Press
Sou um artista carioca, nascido em dezembro de 1975. Comecei a tocar violão aos 7 anos de idade porque, quando ouvia ou via, de perto, alguém tocando esse fantástico instrumento, sentia uma necessidade profunda e imperiosa de fazer aquilo também. Dizia de mim para comigo: “Eu preciso fazer isto!”. Através da música, ainda nos tempo de escola, aproximei-me 
do teatro. Desse modo, além de instrumentista, fui, ao longo 
do tempo, transformando-me, igualmente, em ator. E, certo dia, um amigo do teatro resolveu dirigir uma peça e me convidou para compor a trilha original do seu espetáculo. Eu disse: “Rapaz! Não sei fazer isso, nunca fiz!”. Então, ele me retrucou: “Se vira!”. Foi o que fiz. Compus a música desse tal espetáculo e de mais uns 30… Assim, além de instrumentista e ator, revelei-me, para a minha própria surpresa, também compositor. Estudei e estudo muito. Muito mesmo! Sou um eterno apaixonado pelo meu ofício e ando sempre de mãos dadas 
com aquele menino dizendo a si mesmo que precisava aprender a tocar violão. Depois de cursar bacharelado em violão pela Uni-Rio, fiz minha carreira enveredando por inúmeras vertentes nessa vida artística adentro e afora. Em parceria com a cantora Ithamara Koorax apresentei-me 
em muitas cidades do Brasil. Juntos também levamos a música e o canto brasileiros, ao Exterior, em concertos na Sérvia, na Bulgária, em Chipre e na Coréia do Sul. Desta profícua parceria resultou, além das apresentações acima mencionadas, dois CDs chamados, respectivamente Opus Clássico e Arirang – The name of Korea (vol. 2). Do último, participei como violonista, arranjador, compositor e co-produtor. Com a cantora Doriana Mendes formei o Duo Laguna. 
Juntos lançamos o CD Duo Laguna, cujo repertório inclui canções brasileiras do século XIX, muitas delas inéditas. Também com ela excursionei realizando concertos pelo Brasil afora, incluindo a Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, 
e a Sala São Paulo, em São Paulo.
Fiz parte, igualmente da banda de base do grupo “Chicas”, atuando nos shows: “Barulinho”, “Chicas Celebram Mautner” e “Em Tempos de Crise Nasceu a Canção”. Sou compositor 
das trilhas originais de mais de 30 espetáculos teatrais 
e ainda de programas de TV, no History Channel – “Detetives 
da História”, Canal FUTURA – “O Bom Jeitinho Brasileiro”; “Caminhos da Energia”; “#projetoempreender; dentre outros, SESC TV – “Coleções”.
Além de ter atuado em cerca de quinze espetáculos teatrais, adultos e infantis, tais como “Maria Borralheira” de Augusto Pessôa com direção de Rubens Lima Jr; “Um Homem Célebre” de Wladimir Pinheiro com direção de Pedro Paulo Rangel 
e “Samba Futebol Clube” roteiro e direção de Gustavo Gasparani, participei também, como ator, dos filmes “Noel – 
O Poeta da Vila”, “Cavalhadas de Pirenópolis” e “O Casamento de Mario e Fia”. Atualmente, sou membro do elenco da novela infantil “Gaby Estrella” – canal Gloob. Não posso deixar de mencionar a minha parceria com os contadores de Histórias. Principalmente com Augusto Pessôa. Comecei minha vida profissional ao lado deles, levando nossa tradição oral por esse Brasilzão afora. Foram tantas experiências, tantas histórias, tantas emoções (viva o Rei Roberto!) que fica difícil traduzir em palavras. Mas o que sei 
é que sou e sempre serei um contador de histórias. Afinal é isso que eu faço, seja como ator, instrumentista ou compositor, estou sempre ajudando a contar uma história. Tanto trabalho e empenho, felizmente, renderam alguns prêmios que compartilho aqui com vocês:
Categoria especial dos prêmios Shell e Cesgranrio 
2014 – Elenco por “Samba Futebol Clube”
Melhor trilha sonora no II Festival Brasil de Cinema Internacional pela trilha do curta "O Casamento 
de Mário e Fia" - 2014
Melhor Trilha Sonora no 10º FestCine Amazônia pela trilha 
do curta-metragem "O Casamento de Mario e Fia" - 2012.
Premio Shell de Teatro -16ª edição - 2003 – indicação 
na categoria música pela trilha original de “Comoção”.
Maria Clara Machado- RIO-ARTE de teatro infantil- 
Indicação nas categorias ator e música, por “Maria Borralheira” – 2002.
“XXVI FESTE” – Prêmio de melhor espetáculo 
e indicação nas categorias ator e música, por 
“Maria Borralheira” – 2002.
“XXVII FESTE” – indicação na categoria música, 
por “O Macaco e a Boneca de Piche” – 2003.
2º lugar no 2º Prêmio Sérgio Abreu de Violão - 2000.
Prêmio de melhor interpretação de estudo de Villa-Lobos 
(nº 12) no 2º Prêmio Sérgio Abreu de Violão - 2000.
1º lugar e menção honrosa no Concurso Nacional Souza Lima, na categoria música de câmara - 2000.